NOTÍCIAS

Segurança do Paciente

Dinâmicas de Poder: empoderamento das equipes gera mais segurança ao paciente

Dinâmicas de Poder: empoderamento das equipes gera mais segurança ao paciente
0
(0)

Primeiro workshop do II Simpósio Internacional de Qualidade e Segurança do Paciente discute a real diferença entre hierarquia e liderança

O início do II Simpósio Internacional de Qualidade e Segurança do Paciente, este ano, ficou marcado pela realização, no dia 26/04, dos dois workshops pré-simpósio. Na parte da manhã, ‘Dinâmicas de Poder – ‘Empowerment’ e Segurança do Paciente’ foi comandado pelo neonatologista John Chuo, Improvement Advisor do Institute for Healthcare Improvement (IHI), gerente de qualidade neonatal do Children’s Hospital of Philadelphia, nos Estados Unidos. John dividiu a aula com a enfermeira canadense Susan Sommerfeldt, especialista em trabalho de equipe e segurança do paciente, além das contribuições em vídeo de Suzanne Gordon, jornalista norte-americana idealizadora do workshop comandado por seus colegas John e Susan.

“As organizações de saúde têm implementado muitas iniciativas para melhorar a segurança do paciente, como esforços para aumentar a adesão à higienização das mãos, criação de equipes de educação continuada, melhoria da supervisão sobre tratamentos e procedimentos, implantação de checklists, rounds em muitas unidades, entre outras”, diz Suzanne. “Embora estas iniciativas sejam de fato muito importantes para aumentar a segurança do paciente, muitas fracassaram porque não integram o conhecimento da dinâmica de poder, o “empowerment” na criação e implantação destas estratégias”, completa Suzanne.

“A Dinâmica de Poder deve ser expressa de maneira sutil, mas clara para que possa ser reconhecida”, afirma Susan Sommerfeldt. “Reconhecer o impacto do “empowerment” é de fato crucial para criar um ambiente psicologicamente seguro em que os profissionais de saúde de todos os níveis se sintam livres para expressar preocupações, alertar sobre problemas com a segurança do paciente, monitorarem uns aos outros e se envolverem em atitudes que irão garantir a segurança a longo prazo”, complementa John Chuo.

O workshop
Neste workshop, foi explorado o impacto deste comportamento sobre a segurança do paciente, desde a criação da equipe até o funcionamento da mesma. Através da análise de “cases” envolvendo segurança do paciente e exercícios interativos, o público viu como o gradiente de poder de um determinado local de trabalho pode ser avaliado e como os comportamentos – os claramente nocivos ou os extremamente sutis – influenciam na segurança do paciente.

“Discutimos como desenvolver a percepção quando a Dinâmica de Poder está operando como uma atuação destrutiva e como podemos corrigir, bem como quais comportamentos podem combater este tipo de atitude negativa”, disse John. “Conduzimos a uma discussão de como o “empowerment” pode ser abordado de uma forma que respeitasse a hierarquia, mas também criasse um ambiente no qual a qualidade e a alta confiabilidade pudessem ser alcançadas”, completou Susan.

Em suma, o workshop de abertura do II Simpósio Internacional de Qualidade e Segurança do Paciente foi a oportunidade de dar ênfase às habilidades, ações e comportamentos que poderão ser facilmente implementados nas instituições de saúde, para que estas possam lidar como os efeitos nocivos da Dinâmica de Poder no ambiente de trabalho.

Veja mais:

 

1

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Outros conteúdos do Acervo de Segurança do Paciente

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos