NOTÍCIAS

Segurança do Paciente

Doenças associadas ao tabagismo são a causa de morte precoce de quase 250 mil brasileiros por ano

Doenças associadas ao tabagismo são a causa de morte precoce de quase 250 mil brasileiros por ano
0
(0)

Expectativa de vida de quem fuma um maço de cigarros por dia é encurtada em 13 anos, informa OMS

 

Dados do Ministério da Saúde por meio do Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostram que anualmente cerca de 250 mil brasileiros morrem e tantos outros se aposentam precocemente em decorrência do tabagismo. Nos Estados Unidos, esse número é ainda maior, cerca de 480 mil mortes evitáveis por ano. Doenças cardiovasculares, acidentes vasculares cerebrais (AVC) e diversos tipos de cânceres poderiam ser evitados com a cessação do tabagismo.

A OMS diz ainda que a expectativa de vida de quem fuma 20 cigarros por dia é encurtada em 13 anos.

Apesar destes alarmantes dados, cerca de 15% da população adulta brasileira ainda é fumante. No entanto, de acordo com o Dr. Ciro Kirchenchtejn, pneumologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, quem deixar de fumar só tem a ganhar, pois a saúde melhora significativamente e os profissionais de saúde tem o dever de alertar seus pacientes. “Abandonar o vício reduz as chances de doenças cardiovasculares, respiratórias e diminui a incidência de diversos tipos de câncer. A pele ganha viço, cabelos e unhas ficam mais fortes e os dentes mais saudáveis”, afirma o especialista.

Para alertar a população sobre as consequências do uso do cigarro, o Ministério da Saúde criou em 1986, o Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado todo ano em 29 de agosto.

Cigarro e câncer
Dados do Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), do Ministério da Saúde, mostram que as mulheres têm mais dificuldade para abandonar o hábito de fumar. O percentual de ex-fumantes é maior entre a população masculina (26%) do que entre a população feminina (18,6%). O pneumologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz afirma que em vários estudos realizados com mulheres com câncer de mama, as fumantes respondem pior ao tratamento oncológico e que aquelas que abandonam o cigarro aumentaram em 25% as chances de sobrevida, respondendo melhor a todos os tratamentos, quer seja cirurgia, quimioterapia ou radioterapia.

Tratamento individualizado
O Hospital Alemão Oswaldo Cruz oferece atendimento completo, individualizado e multidisciplinar para quem quer parar de fumar. “Desenvolvemos um trabalho baseado em evidências científicas com pneumologistas, psiquiatras, psicólogos e nutricionistas. São profissionais capacitados para identificar e fortalecer as motivações do paciente em abandonar o vício”, diz Kirchenchtejn.

O especialista diz ainda que o acompanhamento médico e terapêutico é fundamental para o sucesso do tratamento, já que 80% de quem quer parar de fumar tem recaída no primeiro mês sem o cigarro.

 

Veja mais:

 

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Outros conteúdos do Acervo de Segurança do Paciente

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos