NOTÍCIAS

Segurança do Paciente

Medicamento com base em alterações biológicas do tumor é aprovado pela FDA

Medicamento com base em alterações biológicas do tumor é aprovado pela FDA
0
(0)

A Food and Drug Administration, agência reguladora norte-americana, pela primeira vez na história, indica uma única droga para tumores em locais diferentes do corpo humano

Até agora, as indicações medicamentosas para o tratamento do câncer eram baseadas no órgão afetado e não no tipo de alteração celular que causou o tumor maligno. A Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos, pela primeira vez na história aprovou a utilização de um tratamento com base nas alterações biológicas do tumor em vez da localização no corpo onde o tumor se originou.

Overdiagnosis: rastrear câncer de tireoide faz mais mal do que bem?

Diagnóstico precoce do câncer salva vidas e reduz os custos de tratamento, aponta nova diretriz da OMS

Isso significa que a FDA recomenda que a medicação – chamada pembrolizumabe, da MSD – deve ser usada para tratar câncer em diversos locais, seja pâncreas, pele, intestino, pulmão, em pessoas que tenham a alteração, que é presente em pelo menos 5% de todos os pacientes.

“É indicada para o tratamento de adultos e crianças com tumores sólidos não ressecáveis ou em metástase, que foram identificados por apresentar alteração biológica de referência”, informa a FDA. Com isso, o novo medicamento é indicado para combater tumores sólidos que progrediram mesmo após tratamento prévio e que não têm opções terapêuticas alternativas satisfatórias, além de pessoas com câncer colorretal, que tenha progredido mesmo com quimioterapia.

Tratamento Direcionado

“Este é um importante passo para a comunidade de câncer”, disse Richard Pazdur, diretor de tecnologia do escritório de Hematologia e Produtos Oncológicos, do Centro de Avaliação e Pesquisa de Drogas da FDA. “Até agora, aprovamos tratamentos contra o câncer com base no local onde o câncer começou – por exemplo, câncer de pulmão ou mama. Agora, aprovamos uma droga baseada na alteração biológica do tumor, sem considerar a localização original do tumor”.

No Brasil, o pembrolizumabe ainda não está liberado para este tipo de tratamento, uma vez que atualmente é apenas usado contra o melanoma, um câncer agressivo de pele. Nos Estados Unidos, antes desta novidade, o princípio ativo já vinha sendo usado contra linfoma de Hodgkin e nódulos no pulmão.

 

Veja como foi o II Simpósio IBSP & ONA

https://www.youtube.com/watch?v=5Y9-s__bddo

 

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Outros conteúdos do Acervo de Segurança do Paciente

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos