NOTÍCIAS

Segurança do Paciente

Conheça as quatro categorias de riscos que provocam quedas de idosos

Conheça as quatro categorias de riscos que provocam quedas de idosos
5
(1)

Fatores de Risco para Quedas

Os problemas biológicos, comportamentais, ambientais e socioeconômicos estão interligados para levar à quedas de pessoas da 3ª idade

As quedas estão entre os problemas mais comuns – e perigosos – que rondam pacientes idosos. É senso comum saber que quanto mais idade tem a pessoa, mais alto será o risco em caso de algum acidente que leve à queda. “Quanto maior o número de fatores de risco ao qual um idoso é exposto, maiores são as chances de ele sofrer quedas”, explica o Dr. José Eduardo Pompeu, do Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional da Faculdade de Medicina da USP.

Uso inadequado de antibiótico em casas de repouso causa eventos adversos

Videogames ajudam na reabilitação de pacientes com Mal de Parkinson

Para isso, a OMS categoriza os fatores de risco de quedas em quatro dimensões: biológica, comportamental, ambiental e fatores socioeconômicos. Confira a descrição e entenda cada um deles, que foram explicados pelo especialista:

Biológicos

Entre os riscos biológicos estão os declínios que ocorrem em diferentes sistemas decorrentes do processo de envelhecimento. O envelhecimento do sistema músculo esquelético é caracterizado pela diminuição da força e do trofismo muscular, diminuição da sensibilidade superficial e profunda, perda da acuidade visual e o declínio da função do sistema vestibular. Os ajustes posturais dependem da percepção dos deslocamentos do corpo e da resposta muscular organizada de acordo com o sentido e a magnitude do desequilíbrio. Deste modo, a diminuição da força muscular e da sensibilidade superficial e profunda pode prejudicar tanto a percepção do desequilíbrio quanto a latência e a magnitude da resposta.

Comportamentais

São aqueles associados com as ações humanas, emoções e tomadas de decisão. Assim, idosos que apresentam comportamentos de risco de quedas – como por exemplo, subir na cadeira para trocar lâmpada – estão mais susceptíveis a sofrer quedas e lesões decorrentes da mesma. Outros comportamentos de risco incluem a utilização de múltiplos medicamentos, consumo de álcool e o sedentarismo.

Ambientais

Tapetes, fios elétricos, animais domésticos, pisos e escadas escorregadios, altura excessiva de degraus, ausência de corrimão nas escadas, distribuição inadequada da mobília, ausência de barras de apoio nos banheiros, ambiente mal iluminado, são exemplos de fatores de risco ambientais dentro de casa. Nos ambientes públicos, as calçadas irregulares, raízes de árvores, ausência de semáforos e iluminação insuficiente também são considerados fatores de risco ambientais.

Socioeconômicos

Entre os fatores de risco socioeconômicos podemos citar a baixa renda, baixa escolaridade, dificuldade de acesso a serviços de sociais e de saúde, os quais estão associados a piores condições de saúde do idoso de maneira mais abrangente.

 

Saiba mais:

 

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Outros conteúdos do Acervo de Segurança do Paciente

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos

AVISO IMPORTANTE!

A partir do dia 1º de julho, todos os cursos do IBSP farão parte do IBSP Conecta, o primeiro streaming do Brasil dedicado à qualidade e segurança do paciente.

NÃO PERCA ESSA OPORTUNIDADE E CONHEÇA AGORA MESMO O IBSP CONECTA!