NOTÍCIAS

Segurança do Paciente

Diagnóstico de COVID-19 – Segurança na coleta de amostras do trato respiratório

Diagnóstico de COVID-19 – Segurança na coleta de amostras do trato respiratório
0
(0)

IBSP: Segurança do Paciente - Diagnóstico de COVID-19 – Segurança na coleta de amostras do trato respiratório

O RT-PCR (reação em cadeia da polimerase) é o exame diagnóstico apontado pela OMS (Organização das Nações Unidas) como o padrão ouro para identificação da infecção pelo novo coronavírus. Molecular, esse teste consegue perceber a COVID-19 logo nos primeiros dias após o início dos sintomas por ter alta acurácia e eficiência. Porém, para garantir a segurança do paciente – e do profissional que executa a coleta –, é necessário tomar alguns cuidados na hora de colher as amostras que serão analisadas em laboratório.

Profissionais responsáveis por coletar amostras nasofaríngeas, comum também para diagnóstico de outras infecções respiratórias virais e bacterianas, devem ser cautelosos principalmente se o paciente tiver sofrido algum trauma nasal recentemente, se tiver desvio acentuado de septo ou se tiver histórico de bloqueio das passagens nasais ou for portador de alguma coagulopatia grave.

A fim de promover o processo adequado para obtenção das amostras, o The New England Journal of Medicine publicou um artigo (1) explicativo que trata dos detalhes deste processo diagnóstico. Lista, inclusive, recomendações prévias ao procedimento:

1. O profissional que fará a coleta da amostra deve usar equipamento de proteção individual incluindo avental, luvas, máscara (N95) e escudo facial.

2. Antes de iniciar o processo, deve verificar se todos os tubos foram devidamente etiquetados e se os documentos estão corretamente preenchidos (importante fazer a checagem de ao menos dois identificadores como nome e data de nascimento na identificação das amostras).

3. Antes da coleta, o paciente deve retirar a máscara e assoar o nariz em um lenço de papel para eliminar o excesso de secreções.

A SBAC (Sociedade Brasileira de Análises Clínicas) listou, em seu portal na internet, as recomendações (2) para a melhor coleta das amostras tanto do trato respiratório superior quanto do inferior. Conforme descrito abaixo:

Amostras colhidas no trato respiratório superior

  • Usar apenas swabs de fibra sintética com haste de plástico; já que swab de alginato de cálcio ou com hastes de madeira podem conter substâncias que inativam alguns vírus e inibem o teste de PCR.
  • Após a coleta, colocar os swabs imediatamente em tubos estéreis com 2-3 ml de meio de transporte viral.
  • Para swab de nasofaringe, inserir um cotonete na narina paralelamente ao palato atingindo profundidade igual à distância entre as narinas e a abertura externa da orelha. Deixar o cotonete no local por alguns segundos para absorver as secreções e remover lentamente girando em 360°.
  • Para swab orofaríngeo, colocar o swab na faringe posterior sem tocar a língua
  • Para lavado/aspirado de nasofaringe ou aspirado nasal, coletar 2-3 ml em um recipiente estéril para coleta de escarro, à prova de vazamento e com tampa de rosca ou em um recipiente seco e estéril.

Amostras colhidas no trato respiratório inferior

  • Para lavagem broncoalveolar ou aspirado traqueal, a equipe multidisciplinar que está assistindo o paciente no ambiente hospitalar deve coletar 2-3 ml em um copo de coleta de escarro estéril, à prova de vazamento e com tampa de rosca ou em um recipiente seco e estéril
  • A indução do escarro não é recomendada, devendo ser coletada somente em pacientes com tosse produtiva. Nesse caso, o paciente deve lavar a boca com água e depois tossir forte e diretamente em um recipiente estéril, a prova de vazamento e com tampa de rosca ou em um recipiente seco e estéril. Além disso, essa amostra só deve ser coletada em um ambiente apropriado que permita o isolamento do paciente pois a execução do procedimento produz aerossol.

Após finalizar o procedimento, o profissional de saúde deve seguir as recomendações para retirar os equipamentos de proteção individual.

Referências:

(1) NEJM – How to Obtain a Nasopharyngeal Swab Specimen

(2) SBAC – Métodos laboratoriais para diagnóstico da COVID-19

 

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Outros conteúdos do Acervo de Segurança do Paciente

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos