NOTÍCIAS

Segurança do Paciente

Entenda o que é prevenção quaternária e como ela é aliada da segurança do paciente

Entenda o que é prevenção quaternária e como ela é aliada da segurança do paciente
0
(0)

Conceito defende intervenção para evitar risco de overtreatment e interromper supermedicalização

 

Se a falta de cuidados médicos pode ser fatal para pacientes, tratamentos excessivos e inadequados são ainda mais perigosos. O chamado overtreatment consiste em tentar combater doenças em que o tratamento traz mais malefícios do que benefícios para o doente. Ou seja, são casos em que controlar a evolução e fazer acompanhamento seria mais adequado do que entrar com excesso de medicação e intervenções.

Essas ações normalmente são desencadeadas por uma reação em cadeia originada pelos overdiagnosis. “É preciso saber primeiro se aquele diagnóstico vai ter a capacidade de beneficiar ou prejudicar”, afirma Dr. Luis Claudio Correia, doutor em Medicina e Saúde pela Universidade Federal da Bahia e Livre-Docente em Cardiologia pela mesma instituição. “Quando se faz o overdiagnosis é difícil parar o processo aí. Normalmente, evolui para o overtreatment. É preciso avaliar se existe eficácia no tratamento que será proveniente daquele diagnóstico”, completa.

Quando isso acontece, entra em ação a chamada prevenção quaternária, que é a detecção de indivíduos em risco de tratamento excessivo para protegê-los de novas intervenções médicas inapropriadas, além de alternativas mais éticas para resolução do problema. “A prevenção quaternária deveria primar sobre qualquer outra opção preventiva ou curativa. Na prática, é utilizar serviços e tecnologias apenas quando for provável que os benefícios superem os riscos”, explica Dr. Rodrigo Diaz Olmos, doutor em Medicina pela Universidade de São Paulo e professor assistente do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da USP.

No Brasil, a implantação desse conceito ainda caminha a passos lentos, principalmente por causa da forma como as instituições de saúde são remuneradas. Como o pagamento do sistema é feito por procedimento em vez de bonificar a qualidade na assistência, quanto mais exames e intervenções são feitas – necessárias ou não – maior é o lucro. O ideal seria a integração das quatro esferas de prevenção. Confira quais são elas:

Prevenção primária: Evita ou elimina a causa de um problema de saúde antes dele ocorrer.

Prevenção secundária: Evita o desenvolvimento do problema de saúde desde o estágio inicial para encurtar sua duração.

Prevenção terciária: Reduz o efeito ou prevalência de um problema de saúde crônico por meio da diminuição o dano causado.

Prevenção quaternária: Identifica um indivíduo em risco de supermedicalização para protegê-lo de uma nova invasão médica e sugerir a ele intervenções eticamente aceitáveis.

Veja mais

 

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Outros conteúdos do Acervo de Segurança do Paciente

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos

AVISO IMPORTANTE!

A partir do dia 1º de julho, todos os cursos do IBSP farão parte do IBSP Conecta, o primeiro streaming do Brasil dedicado à qualidade e segurança do paciente.

NÃO PERCA ESSA OPORTUNIDADE E CONHEÇA AGORA MESMO O IBSP CONECTA!