NOTÍCIAS

Até 2030: 23 milhões de pessoas podem morrer de doenças cardiovasculares

0
(0)

Neste Dia Mundial do Coração – 29 de setembro –, é preciso reforçar com os seus pacientes a importância dos cuidados com a saúde para evitar problemas cardiovasculares

O dia 29 de setembro é a data oficial do Dia Mundial do Coração, que tem como objetivo sensibilizar a população sobre a importância de manter o coração saudável. A campanha é promovida pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), pela Sociedade Interamericana de Cardiologia (SIAC) e pela World Heart Federation (WHF). Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, as doenças cardiovasculares (DVCs) causam anualmente 17,3 milhões de mortes no mundo. Estima-se que até 2030, esse número suba para 23 milhões por ano.

Setembro Amarelo: OMS considera suicídio prioridade de saúde pública

Cuidados paliativos – chega de prolongar a morte

Sobre como se deve morrer

As doenças cardiovasculares são aquelas que afetam o coração e vasos sanguíneos. O principal mecanismo da doença é o acúmulo de placas de gorduras nas artérias, impedindo a passagem do sangue, o que pode provocar o infarto do miocárdio, por exemplo. Entre as principais causas dessas doenças estão o tabagismo, hipertensão arterial, diabetes, dislipidemias, obesidade, sedentarismo e os hábitos alimentares inadequados.

Fatores de risco
Segundo o especialista do Centro de Cardiologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Fábio de Cerqueira Lario, é importante alertar a população sobre a necessidade de conhecer e controlar adequadamente esses fatores de risco para o desenvolvimento de doenças do coração, e também adotar continuamente hábitos saudáveis para preveni-las.

“Parar de fumar, praticar atividade física regularmente, procurando se movimentar sempre que possível durante a rotina diária, adotar uma alimentação mais saudável, com baixo consumo de sal e de alimentos com excesso de açúcares e gorduras saturadas e trans, são algumas medidas que ajudam a evitar as doenças cardiovasculares”, explica o cardiologista. Estudos apontam que a adoção de determinados padrões alimentares, como a dieta mediterrânea, rica em frutas, hortaliças, legumes, produtos integrais, peixes e ácidos graxos insaturados (azeite de oliva) podem reduzir substancialmente o risco de doenças cardíacas.

Prevenção
“Para que possam controlar e reduzir o risco de doenças do coração, as pessoas precisam conhecer seus fatores de risco. Dessa forma, a avaliação do cardiologista é fundamental para se obter o conhecimento da pressão arterial, de alterações clínicas ainda sem manifestação e dos níveis de açúcar e colesterol no sangue, o que torna possível a estimativa do risco de desenvolver alguma doença cardiovascular ao longo da vida, permitindo a recomendação correta para que cada um possa reduzir esse risco”, explica o Dr. Lario.

Dados deste ano do Ministério da Saúde mostram que 31% dos homens brasileiros não têm o hábito de ir ao médico para acompanhar seu estado de saúde e buscar auxílio na prevenção de doenças e na qualidade de vida. “É importante investir em campanhas de prevenção. E faz parte desse processo o paciente conhecer o seu organismo”, diz o cardiologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Fique atento aos sintomas
Entre os sintomas das doenças cardíacas estão a dor no peito, sobretudo quando desencadeada por algum esforço físico, a falta de ar aos esforços mais simples, o inchaço contínuo nas pernas, além de palpitações e desmaios. Ao reconhecer algum desses sintomas, é necessário procurar um cardiologista.

 

Veja mais

[youtube id=”BbXd21py5jY”]

 

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Comente

Veja outros conteúdos

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos