NOTÍCIAS

Pesquisadoras brasileiras dão dicas práticas de cuidado à saúde da pessoa idosa

0
(0)

O guia tem o objetivo de instrumentalizar e empoderar o cuidador a prestar um serviço de maior qualidade e com segurança a esse paciente da terceira idade

“Inúmeras possibilidades de utilização de um guia para a maior qualificação da nossa rede de cuidados e de cuidadores de idosos no SUS do Rio Grande do Norte. A inegável preocupação de melhorar nossos serviços de saúde corrobora o sentido maior de textos acadêmicos voltados para qualificar intervenções na realidade que nos cerca e nos aflige, diz Prof. Dr. Paulo de Medeiros Rocha, do Departamento de Saúde Coletiva – UFRN, na apresentação do livro.

Clique aqui para conhecer o guia.

IBSP – Como surgiu a iniciativa de criar uma obra focada na saúde do idoso?
Grasiela Piuvezam – A ideia de criar uma obra com o enfoque na saúde do idoso veio naturalmente. O meu processo de formação como pesquisadora desde o mestrado até o doutorado, abordou nuances epidemiológicas do processo de envelhecimento humano. E, no desenvolvimento das minhas investigações, percebi a necessidade de retribuir a esse grupo populacional todo o conhecimento que havia tido acesso, isso porque sempre idealizei a pesquisa como uma grande ponte para realização de ações para o bem comum, nunca em uma pesquisa desengajada de seu compromisso social.

Minha pesquisa de doutorado foi financiada pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e por isso permitiu que durante a execução do projeto de doutorado investigasse 11 cidades no Brasil distribuídas aleatoriamente nas 5 regiões geográficas, com o objetivo de conhecer a realidade das Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) em nosso país. Nessa pesquisa visitei 36 ILPI com realidades muito diferentes.

Quando retornei do doutorado às minhas atividades docentes na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) fiz parceria com a pesquisadora, também na área do Envelhecimento Humano, Dra. Vilani Medeiros de Araújo Nunes. E juntas, idealizamos e executamos em 2013, a “I Oficina de formação para cuidadores de idosos institucionalizados (CR217-2013)” com apoio da PROEX – Pro Reitoria de Extensão da UFRN, esse curso permitiu a formação de cerca de 60 cuidadores de ILPI de Natal, Parnamirim e Macaíba, RN.

No ano seguinte, promovemos o Projeto “Educação permanente direcionada para cuidadores de idosos (PJ300-2014)” em que realizamos o “Curso de Formação para Cuidadores de Idosos da Atenção Primária à Saúde”, para a Rede Municipal de Saúde de Natal, esse curso permitiu a formação de cerca de 80 cuidadores.

Torna-se fundamental ressaltar que, a realização de ambos os projetos somente aconteceu, pois envolvemos muitos colaboradores como alunos de graduação de diversos cursos (medicina, odontologia, direito, nutrição, enfermagem, fonoaudiologia, fisioterapia, educação física, farmácia, biomedicina, psicologia), alunos de pós-graduação, profissionais voluntários colaboradores e outros pesquisadores.

Assim, diante dessa experiência de formação multiprofissional surge a necessidade de registrar a experiência e multiplicar todo o conhecimento produzido e construído pelo grupo. De sorte que, em 2015, sistematizamos o processo de escrita e em 2016 lançamos o “Guia prático de cuidado à saúde da pessoa idosa”, considerado como um compêndio de conhecimentos sobre “O cuidado” e o “Cuidado com quem cuida”, por meio da Editora da UFRN (EDUFRN), com o apoio do Departamento de Saúde Coletiva e da Reitoria da UFRN.

IBSP – A preocupação central do ‘Guia prático de cuidado à saúde da pessoa idosa’ foi reunir orientações qualificadas para quem faz e executa o dia a dia na atenção integral à saúde das pessoas com mais idade?
Grasiela Piuvezam – A nossa preocupação sempre foi embasada nos resultados objetivos coletados através de pesquisas que realizamos ao longo dos anos. Acho interessante trazer um exemplo prático, em 2014, conduzi uma pesquisa sobre a situação dos Cuidadores de Idosos em ILPI no Estado do Rio Grande do Norte, que foi financiada pela FAPERN (Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte) e os resultados apontaram que os cuidadores de idosos que trabalham em ILPI no Estado tem uma formação insuficiente, tendo a maioria ensino fundamental. Essa realidade nos preocupou, na medida em que compreendemos que o cuidado em saúde é complexo e demanda conhecimentos específicos e especializados.

Nessa perspectiva, idealizamos o “Guia prático de cuidado à saúde da pessoa idosa” direcionado a esse público, pois o objetivo sempre foi dar suporte e adequar os conhecimentos dos cuidadores a realidade complexa do cuidado ao idoso, e também pensando na ponta dessa equação que é oferecer o melhor cuidado possível e disponível ao idoso institucionalizado.

IBSP – A utilização deste guia pode colaborar para o profissional que cuida de idosos possa prestar seu serviço com mais qualidade?
Grasiela Piuvezam – O processo de cuidado em saúde com qualidade demanda conhecimentos específicos e especializados, dado o fato de que cuidar, per si, é uma atividade complexa e cuidar do grupo de idosos torna-se um desafio maior, considerando que esse grupo, sobretudo os institucionalizados apresentam diferentes níveis de fragilidade. Nesse sentido, escrevemos o “Guia prático de cuidado à saúde da pessoa idosa” com o intuito de instrumentalizar e empoderar o cuidador a prestar um serviço de maior qualidade e com segurança a esse paciente.

IBSP – Este guia pode melhorar a segurança do paciente idoso sob atenção domiciliar, em unidades de internação prolongadas e em hospitais?
Grasiela Piuvezam – Sim, pois o objetivo primeiro do “Guia prático de cuidado à saúde da pessoa idosa” é oferecer orientações específicas e especializadas aos cuidadores de idosos numa linguagem acessível e de forma ilustrativa buscando auxiliar no processo do cuidado. Assim, o livro traz orientações que permitem prestar uma atenção mais segura e de qualidade aos idosos nos ambientes domiciliar, hospitalar e em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), com a finalidade de tornar mais dignas as condições de saúde desse grupo de pessoas que tem uma longa história de contribuições para o crescimento do nosso País.

Leia mais

Disfagia em idosos tem efeito dominó no hospital, com risco de óbito elevado

Saiba mais

 

2018-03-19

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Comente

Veja outros conteúdos

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos