NOTÍCIAS

Metade da população brasileira procurou pronto-socorro no último ano

0
(0)

Por conta de uma urgência ou por resolver mais rápido algum problema de saúde, as pessoas se dirigem ao OS, segundo pesquisa feita pelo Ibope a pedido do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS)

Metade da população (possuidores ou não de plano de saúde) procurou um pronto-socorro no último ano e pouco mais de 10% foram encaminhados para internação, segundo a Pesquisa do Ibope, feita a pedido do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) em 2017. “A maioria declara procurar atendimento em pronto-socorro por considerar a situação de urgência, taxa que se mantém igual a 2015”, informa a pesquisa.

Confira aqui o estudo na íntegra.

A novidade é a elevação na porcentagem de pessoas que procura um PS pelo fato de resolver mais rápido seu problema de saúde, que passou de 11% em 2015 para 16% em 2017. Outros motivos que levaram o brasileiro com plano de saúde a ir a um atendimento de emergência foram: pode fazer todos os exames que precisar (7%), não consegue uma consulta com o médico (6%), procurar o médico fora do horário comercial (4%).

Informatização do SUS com aplicativo deve melhorar qualidade da assistência pública à saúde

Em tempos de crise, saúde brasileira está em sinal de alerta máximo

Partos vaginais crescem 76% com projeto Parto Adequado

Segundo a pesquisa, 88% dos beneficiários utilizaram, nos últimos 12 meses, algum serviço do plano. No mesmo grupo, 90% dos entrevistados informam que conseguiram solucionar os problemas de saúde a partir dos serviços utilizados pelos planos. Os canais de atendimento foram avaliados como bons ou muito bons por 86% dos beneficiários.

Em caso doença, população busca clínico geral em 1º lugar
Ambos, beneficiários e não beneficiários, buscam um clínico geral em 1º lugar em caso de doença. Em 2º lugar, beneficiários procuram um médico especialista e não beneficiários vão a um Posto de Saúde. O interessante é que apenas 1% das pessoas sem plano de saúde não procura atendimento.

Entre os beneficiários, o uso dos serviços de saúde ocorre principalmente para rotina e prevenção, enquanto entre os não beneficiários o uso ocorre mais em casos de necessidade. Além disso, 28% dos associados usa o plano para consultas quando necessário, enquanto entre os sem plano, apenas 25% fazem prevenção, rotina e acompanhamento da saúde.

Principal razão para a posse de plano é a segurança
A principal razão para a posse de plano é a segurança de não depender do serviço público, isso significa que 41% dos entrevistados deseja segurança e respaldo com relação à saúde, afinal 42% pensa que saúde pública é precária e não quer depender dela. Além disso, 3 entre 10 entrevistados citaram que o possuem porque têm esse benefício oferecido pela empresa. Também se destaca a qualidade do atendimento dos planos, em contrapartida ao atendimento público.

Plano de saúde é terceiro itens mais desejado dos brasileiros
O plano de saúde é a terceira conquista mais desejada pelos brasileiros, perdendo apenas para educação e casa própria, segundo a pesquisa. O benefício também é fator decisivo na hora de aceitar ou não um emprego.

Em relação à pesquisa anterior, do ano de 2015, cresceu a proporção de brasileiros que classificam o plano de saúde como um dos bens mais importantes para se ter. Entre a população que não contava com o benefício há dois anos, 53% tinham essa percepção, sendo que o percentual subiu para 57%. O total de brasileiros não beneficiários que classificam o plano de saúde como o bem mais importante subiu de 13% em 2015, para 16% este ano.

Entre os brasileiros que já contam com o benefício, ele é o terceiro bem mais desejado, de acordo com 67% dos entrevistados. O percentual de beneficiários que colocam o plano como mais importante que casa própria e educação é de 18%.

Os principais motivos para desejar ter plano de saúde são qualidade e agilidade no atendimento, bons médicos e hospitais, comodidade e conforto, além da rejeição à precariedade da saúde pública. Os motivos apontados por quem não tem plano são preço alto e falta de necessidade.

Nível de satisfação
O levantamento entre os que têm plano de saúde mostra que 80% se dizem satisfeitos ou muito satisfeitos com seus planos. O resultado representa crescimento de 5 pontos porcentuais em relação à pesquisa anterior, em 2015.

Do total, 82% dos beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares afirmam que recomendariam seus planos para um amigo ou parente, crescimento de 3 pontos percentuais ante a pesquisa anterior. Além disso, 87% declaram a intenção de manter o plano atual, alta de 1 ponto percentual sobre os resultados de 2015.

 

Saiba mais

 

80

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Comente

Veja outros conteúdos

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos