NOTÍCIAS

Prevenção e o controle do câncer de colo do útero salvam vidas

0
(0)

Em todo o mundo, cerca de 280 mil mulheres morreram de câncer de colo de útero em 2015, sendo quase 90% em países de baixa ou média renda. Saiba como as recomendações da OMS estão ajudando as autoridades de saúde a superar desafios

Falar sobre saúde sexual e reprodutiva pode ser difícil para muitas pessoas. Na República da Coréia, as recomendações da OMS estão ajudando as autoridades de saúde a superar esses desafios como parte de um esforço nacional para proteger muitas meninas e mulheres do câncer de colo de útero.

INSCREVA-SE AGORA NO SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE E SEGURANÇA DO PACIENTE DO IBSP

Uma mãe, Young Shin Seo, recentemente levou sua filha a um ginecologista em Seul. A menina estava nervosa, mas o especialista deixou-a confortável.

“Culturalmente, as jovens têm dificuldade em procurar ativamente a orientação de um ginecologista para assuntos relacionados à reprodução. Mas, como mãe, achei o aconselhamento sobre saúde da mulher muito útil para minha filha”, disse Young Shin Seo. ”Minha filha foi vacinada porque ouvi dizer que esta é a melhor maneira de prevenir o câncer de colo de útero”, completou.

Câncer de colo do útero: um grande desafio para a saúde
Em todo o mundo, cerca de 280.000 mulheres morreram de câncer de colo de útero em 2015, quase 90% em países de baixa ou média renda. A menos que alguma ação seja tomada, este número deverá aumentar nos próximos anos.

A República da Coréia, apoiada pela orientação da OMS, fez a prevenção do câncer cervical através da vacinação contra o papilomavírus humano (HPV), aconselhamento, triagem e tratamento. Com isso, está mostrando ações que podem ser tomadas para proteger meninas e mulheres da doença. Desde junho de 2016, a República da Coréia tem proporcionado acesso às meninas de 12 anos a clínicas duas vezes para receber as doses da vacina contra o HPV e aconselhamento.

Imunizar as meninas contra o HPV, particularmente os dois tipos que causam pelo menos 70% dos casos de câncer de colo do útero, antes de se tornarem sexualmente ativas, é a forma mais efetiva de protegê-las.

Mas a vacinação não é a única medida. Triagem, detecção e tratamento de lesões pré-cancerosas aumentam consideravelmente as chances de sobrevivência.

Controle do câncer cervical: doenças não transmissíveis: “melhor compra”
A Assembléia Mundial da Saúde aprovou a vacinação e triagem do HPV através da inspeção visual com ácido acético, esfregaços de Papanicolaou ou testes de HPV como partes do conjunto de intervenções econômicas de “melhor compra” da OMS para controlar o câncer cervical e outras doenças não transmissíveis.

Na República da Coréia, o Ministério da Saúde e Bem-Estar (MoHW) lançou o Programa Nacional de Triagem de Câncer em 1999, que incluiu a seleção gratuita de câncer de colo de útero para populações de baixa renda. O programa expandiu-se para fornecer exames de Papanicolaou gratuitos a cada dois anos para todas as mulheres de 30 anos ou mais, de acordo com as recomendações da OMS. Em 2016, os serviços de triagem foram expandidos para cobrir as mulheres de 20 e mais anos, porque mais pessoas estavam se tornando sexualmente ativas em idades mais jovens. Até a data, quase metade (46,5%) das mulheres na faixa etária alvo foram selecionadas.

O governo comprometeu-se a oferecer serviços abrangentes de controle do câncer cervical através de instalações públicas e privadas de saúde. Os serviços de vacinação e rastreio são fornecidos de forma gratuita através dos programas de imunização e controle de câncer do país. Além disso, o Programa Nacional de Seguro de Saúde garante que as mulheres necessitadas recebam o tratamento necessário.

Câncer de colo do útero em declínio
Hye Rae Kim, da Divisão de Política de Doenças do MoHW, diz que o foco do governo na prevenção e no controle do câncer cervical está sendo bem sucedido. À medida que as taxas de triagem aumentaram, houve uma diminuição anual de 4% na incidência de câncer cervical invasivo e morte relacionada entre 1993 e 2014. Essa estimativa é baseada em dados de mortalidade coletados pelo National Cancer Center, um registro de câncer com base na população, e Estatística da Coréia (KOSTAT).

Triagem e tratamento melhoram as chances de vencer câncer cervical
Para as mulheres diagnosticadas com câncer de colo do útero, a educação, o rastreio e o tratamento aumentaram significativamente as chances de superar a doença, com mais de 80% vivendo cinco anos após o diagnóstico inicial, diz o Dr. Hai-Rim Shin, que lidera a prevenção das doenças não-transmissíveis e o programa de controle para o Escritório Regional do Pacífico Ocidental da OMS.

“Um programa efetivo de controle do câncer de colo do útero, que inclui vacinação, triagem, tratamento, aconselhamento e cuidados paliativos, é essencial na provisão de cobertura de saúde universal de um país”, explica o Dr. Shin.

Leia mais

Triagem para pré-eclâmpsia: medir a pressão é mais eficaz que exames laboratoriais

Falta de rastreamento e tabu resultam em subdiagnóstico de depressão pós-parto

Rastreamento de câncer de pulmão: devemos fazer?

Veja mais

 

1631657925

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Comente

Veja outros conteúdos

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos