NOTÍCIAS

Segurança medicamentosa – Com FMEA, instituição identifica que principais falhas estão na etapa de administração

5
(4)

Estudo foi conduzido em um serviço de transplante de medula óssea

Uma pesquisa publicada recentemente na Revista Brasileira de Enfermagem sugere a ferramenta FMEA – Failure Mode and Effect Analysis como uma boa estratégia para identificar, classificar e analisar modos de falhas no processo de medicação quando o foco está na ampliação da segurança do paciente. A publicação é um relato de experiência que foi exitosa.

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores contaram com a participação de diversos profissionais de saúde atuantes no serviço de transplante de medula óssea da Universidade Federal do Paraná, local onde a implementação de um protocolo para uso seguro de medicamentos foi considerada prioridade.

Na ocasião, esses profissionais foram divididos em dois grupos. O primeiro, composto por enfermeiros, técnicos de enfermagem e auxiliares de enfermagem, foi o responsável por apresentar dados iniciais sobre os processos de medicação e aplicação do protocolo. O segundo grupo, formado por um farmacêutico, um médico e o pesquisador principal do estudo, analisou e classificou esses processos utilizando a FMEA.

No total, foram identificadas, analisadas e classificadas 207 falhas no processo de medicação do setor, sendo que o risco foi prioritariamente moderado, levando à possibilidade de implementação de ações de médio prazo para prevenção e controle (quando o risco é alto, a sugestão é que essas ações sejam realizadas no curto prazo).

Vinte e nove porcento das falhas estavam na etapa de administração de medicamentos, crucial por ser a etapa mais próxima do paciente, onde há menor chance de se reverter erros. Na sequência, os achados indicavam falhas nos agendamentos de medicação (25,6%), na diluição (16,4%), na checagem (14%), na identificação (12,6%) e na prescrição (2,4%).

O estudo destaca que a equipe de enfermagem tem papel fundamental no processo de medicação, já que muitas das atividades envolvidas nesse cenário são de responsabilidade desses profissionais (como a diluição e a administração de medicamentos).

Como forma de melhorar a segurança dos pacientes submetidos a medicações no local, o serviço investiu na criação de um grupo interno de garantia de qualidade que monitoraria as falhas, auditando as prescrições a fim de detectar casos de subnotificação, e promoveria a aplicação de práticas seguras. A educação continuada também fez parte da estratégia adotada.

 

Referências:

(1) The Healthcare Failure Mode and Effect Analysis as a tool to evaluate care protocols

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 4

Comente

Veja outros conteúdos

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos