NOTÍCIAS

Segurança do Paciente

Resistência a antibióticos dá perigoso salto de crescimento

Resistência a antibióticos dá perigoso salto de crescimento
0
(0)

Pesquisadores isolaram uma nova bactéria portadora do gene responsável pela resistência a drogas. Shigella flexneri é uma das principais causas de diarreia em todo o mundo, especialmente em países de baixa e média renda

Os cientistas estão alertando que o exército de resistência a antibióticos foi acompanhado por um novo e poderoso inimigo. Pela primeira vez, uma equipe de pesquisadores descobriu que o gene responsável pela resistência a antibióticos se espalhou para a bactéria Shigella flexneri, uma das principais causas de diarreia potencialmente fatal em todo o mundo.

INSCREVA-SE NO SIMPÓSIO INTERNACIONAL DO IBSP

Conheça os pontos fundamentais da profilaxia antibiótica em cirurgias

“Resistência bacteriana leva a grandes desafios para tratar pacientes em quadro infeccioso”, diz farmacêutico inglês

Em 2015, os pesquisadores descobriram que o gene mcr-1, que confere resistência a um antibiótico de “último recurso” chamado Colistina, se espalha entre suínos em fazendas chinesas através da bactéria intestinal Escherichia coli. Sinais similares de resistência também surgiram em fazendas na Dinamarca, França, Holanda e Tailândia. Durante décadas, os antibióticos foram amplamente utilizados na agricultura porque diminuíram o risco de doenças, impulsionaram o crescimento dos animais e maximizaram os lucros. No entanto, essa prática também tornou um número crescente de cepas bacterianas resistentes aos agentes projetados para eliminá-las.

A pesquisa mais recente, publicada na revista Applied and Environmental Microbiology, examinou uma amostra de mais de 2 mil bactérias retiradas de fezes de animais em uma fazenda, de pacientes e do meio ambiente na China. A equipe identificou o gene mcr-1 em um plasmídeo transferível, um elemento genético que pode pular entre espécies bacterianas, carregando resistência à droga com elas – neste caso, de S. flexneri para E. coli e potencialmente outras cepas bacterianas também.

Veja aqui a pesquisa.

O mundo já está ficando sem antibióticos eficazes. As infecções que foram facilmente tratáveis há apenas alguns anos podem em breve tornar-se mortais novamente, retrocedendo décadas de progresso médico e custando a vida a milhões, particularmente nos países em desenvolvimento.

Para piorar as coisas, o desenvolvimento de novos antibióticos não é um negócio lucrativo para as empresas farmacêuticas. O pipeline de pesquisa é longo e o produto final é barato e de curta duração, pois os novos antibióticos rapidamente se tornam obsoletos. Formas de pneumonia e tuberculose resistentes a antibióticos já estão se espalhando. Agora, a diarreia poderia aumentar a ameaça.

“Isso é preocupante, pois S. flexneri é a principal causa das infecções por Shigella em países de baixa e média renda”, disse o coautor Adam P. Roberts, professor de Quimioterapia e Resistência Antimicrobiana com a Escola de Medicina Tropical de Liverpool, em um comunicado. Como a tuberculose resistente a medicamentos, a diarreia causada por infecções por Shigella atinge mais o mundo em desenvolvimento; anualmente, essas infecções já causam cerca de 1,1 milhão de mortes, principalmente em países em desenvolvimento. Mesmo assim, a resistência aos antibióticos pode se espalhar rapidamente pelo mundo, inclusive em países ricos como os Estados Unidos.

“Para tentar controlar a resistência antimicrobiana, precisamos entender a epidemiologia dos genes de resistência e como eles se movimentam”, disse Roberts em um comunicado. “Esse trabalho faz parte desse esforço geral. Agora que sabemos que o mcr-1 é funcional e pode ser transferido para Shigella, podemos monitorar essa situação para ver se Shigella é responsável pela transferência desse gene para outras espécies”.

O estudo ajudará os pesquisadores a entender novos padrões de resistência aos antibióticos. Mas sem desenvolver novos medicamentos mais eficazes, os médicos não poderão evitar uma das maiores ameaças à saúde pública do nosso tempo.

INSCREVA-SE NO SIMPÓSIO INTERNACIONAL DO IBSP

Saiba mais

 

 

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Outros conteúdos do Acervo de Segurança do Paciente

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos