NOTÍCIAS

Segurança do Paciente

“A segurança nos cuidados de saúde é um alvo em movimento”, diz Charles Vincent

“A segurança nos cuidados de saúde é um alvo em movimento”, diz Charles Vincent
0
(0)

Psicólogo do Reino Unido especializado em segurança do paciente acredita que, à medida que os padrões melhoram, identificamos novos problemas de segurança

“Pacientes, profissionais de saúde e administradores querem assegurar que sua organização de saúde seja segura. Entretanto, não há um consenso sobre o que pensamos quando nos perguntamos se nossa instituição é segura ou se esta segurança é efetivamente alcançada na prática”, diz Charles Vincent, keynote speaker do III Simpósio Internacional de Qualidade e Segurança do Paciente, realizado pelo IBSP entre os dias 25 e 27 de abril de 2018.

Homecare: segurança do paciente deve ser baseada em múltiplos conceitos, métodos e soluções

Como melhorar a qualidade e a segurança nas transições do cuidado

Outra questão de relevância para o especialista em qualidade e segurança do paciente é os caminho que a atenção domiciliar segue atualmente, já que o homecare ganha em complexidade a cada dia. “Os benefícios do cuidado em casa são conhecidos, mas os riscos precisam ser explorados”, diz.

Confira, a seguir, a entrevista com CHARLES VINCENT.

IBSP: Segurança do Paciente - “A segurança nos cuidados de saúde é um alvo em movimento”, diz Charles VincentIBSP – Por que a atenção domiciliar se tornou importante no campo de segurança do paciente?
Charles Vincent – Pacientes e famílias estão ganhando mais responsabilidade no cuidado fora do hospital e nos tratamentos domiciliares, realizando, inclusive procedimentos bastante complexos, estando sujeitos a erros e a prejudicar seus familiares.

IBSP –  É possível alcançar uma meta de zero eventos adversos?
Charles Vincent – Sim, é possível em situações em que os processos sejam previsíveis e muito bem controlados. Mas nem sempre o objetivo principal é mais segurança. Por exemplo, a autonomia e a vida independente podem ser mais importantes do que a segurança absoluta de um paciente, a depender de seus valores pessoais.

IBSP – Que avanços na segurança do paciente no Reino Unido você poderia citar? 
Charles Vincent – Obtivemos algum sucesso na conscientização sobre segurança, análise de incidentes e lançamento de iniciativas nacionais de segurança. A principal lição a ser aprendida é que melhorar a segurança exige que as pessoas das organizações de saúde respondam adequadamente aos problemas de segurança.

INSCREVA-SE AGORA NO SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE E SEGURANÇA DO PACIENTE DO IBSP

IBSP – O que falta  para avançarmos mais em direção a um sistema de saúde que entregue mais valor ao paciente?
Charles Vincent – Acredito que seria útil para os líderes de saúde, e especialmente os conselhos de hospitais e outras organizações, ter uma melhor compreensão da segurança e da qualidade para complementar seu conhecimento de finanças e economia.

IBSP – O que você espera para a próxima década dentro do campo da segurança do paciente?
Charles Vincent – Certamente podemos ser otimistas. No entanto, devemos reconhecer que a segurança nos cuidados de saúde, como qualquer outra indústria, é uma preocupação permanente. Desse mesmo modo nunca houve ou haverá um momento em que digamos: alcançamos a plenitude em segurança. O ritmo de mudança e inovação nos cuidados de saúde é muito rápido, e também devemos reconhecer que a segurança nos cuidados de saúde é um “alvo em movimento”. À medida que os padrões melhoram, identificamos novos problemas de segurança.

Leia mais

Evento de segurança do paciente irá discutir como melhorar a qualidade da assistência

Veja mais

 

Avalie esse conteúdo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Outros conteúdos do Acervo de Segurança do Paciente

Tudo
materiais-cientificos-icon-mini Materiais Científicos
noticias-icon Notícias
eventos-icon-2 Eventos